script async>(function(w, d) { w.CollectId = "5da4d73afdafc775be79501b"; var h = d.head || d.getElementsByTagName("head")[0]; var s = d.createElement("script"); s.setAttribute("type", "text/javascript"); s.setAttribute("src", "https://collectcdn.com/launcher.js"); h.appendChild(s); })(window, document);

O segmento de aluguéis de imóveis para uso comercial tem registrado aumento na sua demanda em 2018 em relação a anos anteriores. A informação vem da SiiLA Brasil, especializada em pesquisa imobiliária corporativa.  Segundo o levantamento da plataforma, cresceu a procura por galpões logísticos. As lajes corporativas, andares inteiros em prédios comerciais locados por empresas, também mostram uma boa taxa de absorção. Inclusive, distritos disputados da cidade, como o Itaim Bibi, alcançaram neste primeiro trimestre 100% de áreas locadas para lajes de alto padrão.

A taxa de vacância (imóveis à espera de locação), outro dado importante para mensurar o comportamento deste mercado, se manteve praticamente sem alterações, isso porque embora muitos contratos tenham sido fechados no período, novos imóveis entraram no estoque, balanceando os números. Porém, segundo explica Giancarlo Nicastro, CEO da SiiLA Brasil, este cenário deve mudar a partir do meio do ano “O aumento do estoque pode fazer oscilar para cima a taxa de vacância, contudo, os números apontam que, no terceiro trimestre de 2018, não haverá a entrega de novos empreendimentos, e isso fará o mercado ter uma melhor acomodação”, afirma.

Levando em consideração o cenário promissor, a Unioncorp Corretora de Seguros fechou uma parceria com a SiiLA Brasil, contando com análises de mercado qualificadas para a sua nova unidade de negócios focada em locações corporativas. ”Este é um segmento ainda carente de boas soluções em garantias locatícias e contar com o conhecimento de mercado da SiiLA Brasil será um diferencial para atendermos as necessidades deste tipo de cliente”, explica Maria Cristina Caldeira, diretora técnica da Unioncorp.

 

Locações mais seguras e com menos custos

Segundo Sérgio Gamba Júnior, diretor da Unioncorp, também há muita desinformação no mercado sobre os produtos de garantia disponíveis e quais oferecem mais segurança para os contratos. Ele aponta que as empresas quase sempre utilizam o depósito caução ou até mesmo a fiança bancária, por desconhecerem outras modalidades que podem ser mais atrativas. “Tanto o seguro fiança quanto o título de capitalização oferecem verdadeira segurança jurídica, ao contrário da caução, além de terem custos mais baixos e não atrapalharem a linha de crédito das empresas, como a fiança bancária”, explica Sérgio.

Nicastro tem a mesma visão sobre o mercado e acredita que os inquilinos atualmente optam pela caução por acreditarem ser um modelo mais fácil e com custos acessíveis. Para o CEO da SiiLA Brasil, há um interesse latente do mercado em conhecer novas modalidades. Porém, argumenta ele, as vantagens oferecidas por outras garantias nem sempre chegam aos inquilinos. “Conversando rapidamente com alguns, todos se mostraram interessados em conhecer novas possibilidades de garantia. Em um mercado tão competitivo e com uma queda significativa nas receitas por parte das empresas no Brasil, qualquer economia ajuda bastante. São nos momentos de crise que as empresas buscam ser mais eficientes”, conta.