script async>(function(w, d) { w.CollectId = "5da4d73afdafc775be79501b"; var h = d.head || d.getElementsByTagName("head")[0]; var s = d.createElement("script"); s.setAttribute("type", "text/javascript"); s.setAttribute("src", "https://collectcdn.com/launcher.js"); h.appendChild(s); })(window, document);

Serem reconhecidas como facilitadoras no momento de alugar um imóvel é uma das visões de mercado das seguradoras que operam com produtos de garantias locatícias, que neste ano estão voltando a sua atenção para o mercado de locações corporativas. O segmento tem mostrado uma boa performance e perspectiva de crescimento para os próximos anos, motivando também a Unioncorp a criar sua nova unidade de negócios focada na promoção do seguro fiança e título de capitalização para clientes de imóveis como galpões logísticos, lajes corporativas, shopping centers, entre outros. “Este é um cenário que tem mostrado ótimas oportunidades para os parceiros seguradores, pois as opções de garantias mais efetivas e viáveis financeiramente ainda são desconhecidas dos proprietários e inquilinos. Nosso objetivo é alcançar este público e ajudar a evoluir este mercado”, afirma Sérgio Gamba Júnior, diretor da Unioncorp.

 

Recessão também é oportunidade

Por ser um segmento muito específico, atualmente há seguradoras que trabalham especializadas para o seu atendimento, como a Fator Seguradora e a Pottencial Seguradora. As empresas estão otimistas com o crescimento deste nicho, em que a recessão da economia – e a necessidade de enxugar custos operacionais – se transformou em oportunidade para alguns empresários. “Muitas empresas aproveitaram o período de vacância dos imóveis, a redução do preço dos alugueis e se mudaram para um novo endereço, não raro, maior e mais barato. E como a tônica desta mudança foi a economia, a redução de custos, substituir a forma antiga de garantia de contato de locação por uma mais atual e mais barata, faz todo sentido”, explica Luciana Natividade, diretora Comercial da Fator. Cláudio Lendecker, diretor de Fiança Locatícia da Pottencial, aponta também outro fruto da crise econômica: a necessidade de se sentir juridicamente seguro nos contratos. “Proprietários que antes aceitavam garantias como a caução passam a exigir modelos mais seguros. Hoje, quem conhece o mercado não aceita mais três meses de aluguel como garantia, pois não cobre os custos de uma inadimplência”, afirma.

Além da caução, tradicionalmente muitas locações corporativas utilizam também a fiança bancária. Nela, o banco emite uma carta de fiança baseada na linha de crédito da empresa. Atualmente, um dos objetivos dos seguradores é mostrar as vantagens de modalidades como o seguro fiança e o título de capitalização. “Pelo lado dos empresários também passa a ser interessante a utilização do seguro fiança, pois outros modelos de garantia muitas vezes tomam a linha de crédito ou imobilizam as reservas de caixa que a empresa pode precisar na sua operação. Eles passam então a contar com uma alternativa com mais segurança, menos custos e que não ‘suja o balanço’”, explica Lendecker. A diretora da Fator completa o raciocínio, lembrando de outros custos que impactam em uma inadimplência. “Não se deve esquecer que o seguro fiança locatícia oferece as coberturas de multas contratuais e danos ao imóvel que não são prejuízos normalmente abrangidos pela fiança bancária”, afirma.

 

Segmento desperta interesse de players tradicionais

Com as oportunidades geradas no segmento, empresas que hoje tem a liderança na comercialização de produtos de garantia para imóveis residenciais também encontram espaço na sua operação para o segmento corporativo. Embora não apresente expectativas de crescimento, os executivos da Porto Seguro confiam nos diferenciais do seu seguro fiança para atender às necessidades deste mercado, conforme conta o superintendente de Riscos Financeiros e Capitalização da Porto Seguro, Luiz Henrique. “Estamos focados em tornar o seguro fiança mais conhecido e um aliado cada vez mais importante no momento da contratação de um aluguel.  No segmento Comercial, o Porto Seguro Aluguel oferece facilidades para pessoas jurídicas, substituindo o fiador e oferecendo vantagens e garantias extras, como crédito único para matriz e filiais e agilidade no processo de locação”, explica o executivo.

O título de capitalização é outra modalidade que tem se mostrado atrativa para grandes negócios comerciais, chamando a atenção dos grandes players deste mercado, como a própria Porto Seguro, e também a Brasilcap, que já tem uma grande aderência no segmento com o Cap Fiador. “No início da operação imaginávamos que o produto possuiria grande aderência para as locações residenciais e comerciais mais tradicionais. Isso, de fato, se confirmou. Porém, começamos a enxergar outros nichos de negócios com muito potencial, como as locações corporativas, galpões logísticos e shopping centers. Nosso objetivo é acelerar a aplicação nas vendas do Cap Fiador para este segmento”, conta Rafael Jordão, Gerente de Negócios Varejo da Brasilcap. O executivo também se mostra a par do cenário atual do segmento. “De fato, ainda são utilizadas garantias mais tradicionais, mas é exatamente aí que está o nosso maior desafio, que é transmitir e amadurecer o conhecimento e benefícios da Capitalização como garantia para este nicho, uma solução extremamente simples, prática e de fácil contratação, mas ao mesmo tempo uma garantia que tem se mostrado bastante eficiente aos olhares dos grandes locadores, pois é possível acessá-la com agilidade, evidenciando a liquidez do produto”, ressalta.

A iniciativa dos parceiros também reflete no otimismo da Unioncorp. “Ao longo de todos esses anos sempre tivemos um grande respaldo dos parceiros seguradores para o desenvolvimento de produtos de qualidade para o mercado imobiliário. Nossas expectativas são as melhores possíveis também para as locações corporativas, segmento que oferece excelentes oportunidades de negócio e tem demanda por um atendimento sob medida e condições de contratação personalizada para produtos de garantia”, comenta Maria Cristina Caldeira, diretora técnica da empresa.